Sua inspiração

Uma reportagem na TV mostrou uma ambulância que, ao socorrer uma pessoa com síndrome respiratória grave (suspeita de COVID-19), chegou à UPA mais próxima e não havia leito disponíve. Iniciou uma luta na busca de outra unidade para o atendimento, agravando a situação e despendendo um alto tempo e recursos no atendimento.

O que faz o projeto

Como protótipo o projeto visa otimizar o atendimento das equipes de socorro, acelerando o encaminhamento e busca de unidades próximas disponíveis. Tudo de forma visual e intuitiva no mapa, além de outras informações sobre a unidade desejada.

As informações são coletadas da página do Governo do Estado do Espírito Santo, tratadas e normalizadas para serem consolidadas e exibidas no mapa, o qual possibilita a seleção e visualização da localidade das unidades, suas informações e leitos disponíveis para atendimento.

Como fizeram

O projeto é dividido em duas partes:

Back-end: faz um web scraping das informações disponíveis em https://coronavirus.es.gov.br/leitos-hospitais e que são atualizadas pelo Estado do Espírito Santo, possuindo informações das unidades/hospitais e leitos (UTI e Enfermaria). Desenvolvido em Python e utilizando conceitos de data mining é facilmente integrável às tecnologias cloud para execução just-in-time;

Front-end: consolida e disponibiliza as informações de forma intuitiva para a identificação da unidade, localização, disponibilidade, entre outras. Feita em formato web app utilizando o módulo de mapas de código aberto Leaflet e hospedado no Firebase Hosting, acessível pelo navegador e adaptável ao dispositivo do usuário, seja um desktop ou um smartphone. Tudo desenvolvido com frameworks de código aberto.

Dificuldades que encontraram

O formato de publicação dos dados pelo Governo do Estado do Espírito Santo dificultou o web scraping, assim como cada Estado possui sua formatação e formas diferentes de publicação, trazendo para o projeto um alto grau de complexidade no data mining.

A ideia inicial para ter os dados de leitos disponíveis atualizados em tempo-real era na hora do atendimento o sistema disparar uma ligação telefônica automática (semelhantes às URAs) para consultar as Unidades de Atendimento da quantidade de leitos disponíveis, tudo de forma automatizada, mas com necessidade de intervenção por parte da Unidade que atenderia ao telefone. Para grandes capitais a PoC se tornou insustentável devido à possibilidade de alto índice de ligações às Unidades de Atendimentos.

Uma possibilidade de melhoria seria a unificação das informações de leitos disponibilidades das unidades dos Estados pela OMS (ou algum Órgão Federal), resultando em normalização dos dados e consulta em uma fonte única de informação.

Realizações das quais nos orgulhamos

Em um tempo relativamente curto conseguimos desenvolver o sistema e a interface para demonstrar a viabilidade da ideia proposta e, além de tudo, possibilitar ajudar na otimização dos recursos no tempo tão difícil e caótico que estamos enfrentando.

O que aprendemos

Que conseguimos produzir muito remotamente mesmo com distanciamento e que não precisa de muito para termos ideias criativas e que podem trazer grandes benefícios. E o principal, que existem muitas pessoas dispostas a ajudar, que foi o caso dos mentores! Estão de parabéns!!

Próximos passos

Avaliar novas fontes de dados; Integrar com mais Estados e Unidades de Atendimento; Avaliar soluções cloud; Disponibilizar processo de web scraping em cloud para se tornar auto-escalável;

Share this project:

Updates